CADEIRA 7

ACADÊMICOSQUADRO ACADÊMICO

Carlos Augusto Ferreira

Carlos Augusto Ferreira nasceu em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, em 24 de outubro de 1844. Concluiu o ensino primário em São Paulo, para onde se mudou em 1865. De volta a Porto Alegre, foi aprendiz de ourives. Em 1871 retornou para São Paulo e passou a ser redator do Correio Paulistano. Foi ainda de 1876 a 1877 co-diretor do Almanaque Popular de Campinas e diretor da Gazeta de Campinas. Durante o período em que viveu no Rio de Janeiro, foi redator do Correio do Brasil.

Exercitou o magistério, uma de suas paixões, e o jornalismo em Amparo, interior de São Paulo. Poeta, teatrólogo e contista pertenceu ao Partenon Literário e à primeira fase da Academia Rio-Gran-dense de Letras. Também deixou sua marca nas letras paulistanas ao participar da Academia Paulista de Letras.

Dentre a sua produção destacam-se Cânticos Juvenis, livro de poemas publicado em Porto Alegre em 1867, a comédia Pedra do Toque, publicada no Rio de Janeiro em 1889 e Mártires do Coração, drama estrelado pela Companhia Eugênia Câmara em São Paulo em 1868. Carlos Augusto Ferreira morreu em Campinas, São Paulo, em 12 de fevereiro de 1913.

Dados pesquisados em:
MARTINS, Ari. Dicionário Escritores do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: UFRGS, 1978.

continue lendoVOLTARcontinue lendo

Academia Rio-grandense de Letras

PATRONOS

CADEIRA 3

Felix da Cunha

Félix Xavier da Cunha nasceu em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, no dia 16 de setembro de 1833, filho de Francisco Xavier da Cunha e Maria Quitéria de Castro e Cunha. Era irmão de Francisco Xavier da Cunha. Cursou humanidades no Colégio Dom Pedro II no Rio de Janeiro de 1843 a 1848. Formou-se bacharel em Direito em São Paulo no ano de 1854. Após a formatura, mudou-se para Porto Alegre, exercendo a advocacia a partir de 1955.

Como jornalista, dirigiu em Porto Alegre O Propagandista e O Mercantil. Em 1861 fundou O Guaíba. Além das atividades ligadas à advocacia...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo