CADEIRA 20

ACADÊMICOSQUADRO ACADÊMICO

Hilda Agnes Hübner Flores

Natural de Venâncio Aires, RS, reside em Porto Alegre. Casada com o historiador Moacyr Flores, é mãe da artista plástica Ana Flores, da fonoaudióloga Marcia Hübner Flores e de Marcos Hübner Flores, Delegado Estadual do INSS no Rio Grande do Norte.

Cursou Serviço Social, Filosofia e Mestrado em História, todos pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), onde lecionou e recebeu Medalha Irmão Afonso. É tradutora e ensaísta. Aposentada, dedica-se à pesquisa de assuntos imigratórios e temática de gênero. Foi diretora-presidente da Editora Nova Dimensão.

Presidiu a Academia Literária Feminina do Rio Grande do Sul, a primeira vez na década de 1980, quando promoveu cursos temáticos, gerindo recursos para a reforma da sede da instituição; instituiu, em 1986, a publicação anual Presença Literária. Presidiu o Círculo de Pesquisas Literárias RS e foi vice-presidente da Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil (AJEB/RS). É membro da Academia Internacional de Lexicografia, com sede em Divinópolis, MG, do Instituto Histórico e Geográfico de São Luiz Gonzaga (RS) e do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul.

Tem diversas colaborações na imprensa: nos periódicos Correio do Povo, Jornal do Comércio, Zero Hora, RS-Cultura, AEBA (Associação dos Ex-bolsistas da Alemanha); nas revistas Veritas (publicação da PUCRS), Ibero-Americana, Letras de Hoje e Mundo Jovem; na revistaNotícia Bibliográfica e Histórica,da Universidade de Campinas, SP; na revista Travessia 23 (publicação da Universidade Federal de Santa Catarina); na revista Hoy es Historia, de Montevidéu.

Tem participação em mais de sessenta coletâneas e obras coletivas nacionais e internacionais.

Publicou as seguintes obras:

  • A participação popular e os princípios de desenvolvimento da comunidade no desenvolvimento econômico e social do Cone Sul/1966 (trad. do espanhol)
  • Tristeza e Pe. Reus/1979, ELAPE (monografia de bairro)
  • Memórias de um imigrante boêmio/1981, 2ª ed. 1997, EST (trad.: alemão x português)
  • Canção dos imigrantes/1983, EST (dissertação de mestrado)
  • O Papel da Mulher na Revolução Farroupilha/1985, TCHÊ (5 ensaios premiados em concurso estadual)
  • Sociedade, preconceitos e conquistas/1989, Nova Dimensão (ensaio, prêmio Governo do Estado, esgotado)
  • O ramalhete/1990, EDIPUCRS (estudo biobibliográfico de Ana Euridice de Barandas/1845)
  • Aspectos da Revolução de 1893/1993, 2ª Ed. 1995 e 3ª ed. 2005, Martins Livreiro (ensaio, com Moacyr Flores)
  • Turismo no RS - 50 anos de pioneirismo no Brasil (org.). Porto Alegre: Edipucrs, 1993
  • O doutor maragato/1994, 2ª ed. 1995, UFRGS (trad. do alemão, com notas)
  • Alemães na Guerra dos Farrapos/1995, PUCRS (ensaio, esgotado)
  • Santa Clara: o combate federalista/1995, Nova Dimensão (trad. do alemão, com notas)
  • Picada Café/1996, Nova Dimensão (monografia do município, com Moacyr Flores, esgotado)
  • Memórias de Brummer/1997, EST (tradução do alemão, com notas e bibliografia)
  • Dicionário de mulheres/1999, Nova Dimensão (3.300 verbetes, prêmios UBE/RJ, AFEMIL, ALFRS, AJEB/1999, Ivan Lins da UBE e ACL/2000)
  • História da imigração alemã no Rio Grande do Sul/2004, EST (ensaio); Imigração alemã - 180 anos: história e cultura/2004, CORAG (Prêmio Internacional de Literatura Brasil-América Hispânica da AFEMIL de BH)
  • Imigração alemã 180 anos – história e cultura/2004, Corag (com Sílvio Rockenbach; 45 mil exemplares para distribuição)
  • Anita Garibaldi: a criação do mito/2007, EST (folheto)
  • Divórcio?/2007, Ediplat/Porto Alegre e Ed. Mulheres/Florianópolis (org. e estudo biobibliográfico de Andradina de Oliveira)
continue lendoVOLTARcontinue lendo

Academia Rio-grandense de Letras

Unimed RS

PATRONOS

CADEIRA 1

Manuel de Araújo Porto Alegre

Manuel de Araújo Porto Alegre nasceu em Barão de Santo Ângelo, Rio Pardo, Rio Grande do Sul, em 29 de novembro de 1806, filho de Francisco José de Araújo e Francisca Antônia Viana de Araújo. Completou a Escola Primária em Porto Alegre e estudou Belas Artes no Rio de Janeiro. Nesta área destacou-se, ganhando prêmios e ministrando cursos.

Foi co-diretor da revista brasileira Niterói (Paris, 1826), co-fun-dador do Conservatório Dramático Brasileiro (Rio de Janeiro, 1843), co-diretor da Lanterna Mágica (Rio de Janeiro, 1845), diretor da Academia...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo