CADEIRA 22

ACADÊMICOSQUADRO ACADÊMICO

Sérgio Augusto Pereira de Borja

Sérgio Augusto Pereira de Borja (Porto Alegre, 2 de novembro de 1949) é um advogado e professor universitário brasileiro.

Em 1992 foi o primeiro brasileiro a entrar com o pedido de impeachment de Fernando Collor. Em 2006 entrou com pedido de impeachment do presidente Lula.

Tem denunciado através de uma legítima advocacia pública o processo de desmonte do Estado, da Constituição e a degradação social que leva à violência e ao sucateamento da saúde e educação.

Conferencista e escritor, membro da Academia Rio-Grandense de Letras, tem percorrido o estado fazendo conferências.

Foi professor de Direito Constitucional, Ciência Política e História do Direito na PUC/RS; é professor de Teoria Geral do Direito, Direito das Obrigações, Direito Agrário e Instituições de Direito, na Faculdade de Direito da UFRGS.

Escritor com vários livros publicados na área de direito constitucional, integração americana, ciência política e poesia. Articulista, publicou seus artigos, em revistas jurídicas e na grande imprensa. Recebeu em 1997, da Comissão do Mercosul, daAssembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul o Diploma de Colaborador Emérito. Premiado com o Troféu Obirici em 2007, como destaque social e profissional.

Foi condecorado com a mais alta comenda da OAB, a Medalha Osvaldo Vergara.

Presidiu a Academia Rio-Grandense de Letras em 2013, 2014 e 2015. 

Site pessoal: http://www.sergioborja.com.br/

Mais informações no Currículo Lattes do acadêmico.

 

Obras:

  • Ronda alta, 1981
  • Pele madura, 1984
  • Contra corja, 1988
  • Impeachment, 1992
  • Teoria Geral dos Tratados - Mercosul - A Luta Pela União Latino-Americana, 2001
  • O Projeto Democrático, 2001
continue lendoVOLTARcontinue lendo

Academia Rio-grandense de Letras

PATRONOS

CADEIRA 20

João Simões Lopes Neto

João Simões Lopes Neto, descendente da nobre linhagem patrícia chefiada por seu avô, o Visconde da Graça, nasceu em uma estância situada nos arredores de Pelotas, em 09 de fevereiro de 1865, tendo como pais Catão Bonifácio Simões Lopes e Teresa de Freitas Lopes. A formação escolar de Simões Lopes completou-se no Rio de Janeiro, onde esteve matriculado, a partir de 1878, no famoso Colégio Abílio, dirigido pelo Barão de Macaú-bas, mais tarde retratado por Raul Pompéia como o Aristarco de O Ateneu. Em 1880 iniciou o Curso...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo