CADEIRA 24

ACADÊMICOSQUADRO ACADÊMICO

Zeferino Brasil

Antônio de Souza Zeferino Brasil nasceu em Porto Grande, município de Taquari, Rio Grande do Sul, em 24 de abril de 1870, sendo filho de João Antônio de Sousa e Tausta Carolina de Sousa. Estudou no Colégio Rio-Grandense em Porto Alegre no ano de 1883 e cursou a Escola Normal de Porto Alegre pela qual se diplomou professor em 1889.

Funcionário público estadual desde 1889, tendo servido na Secretaria da Fazenda do Rio Grande do Sal até aposentar-se. Foi ainda professor de Retórica e Poética. Jornalista, pertenceu à redação do Jornal do Comércio, A Federação e Correio do Povo, todos de Porto Alegre.

É considerado o maior poeta do seu tempo, consagrado como 0 príncipe dos poetas do Rio Grande do Sul. Também foi, além de poeta, teatrólogo, cronista e romancista. Usou os pseudônimos de Eliseo Cinthio, Diabo Coxo, Mefisto, Til, Diávolo, Celino Délio, Phoebus de Montalvão, Vasco de Montarroios e Nilo Castanheira.

Foi membro fundador do Centro Literário de Porto Alegre em 1897, da Academia Rio-Grandense de Letras, primeira fase, em 1901, e da segunda fase, em 1934, e da Academia de Letras do Rio (irande do Sul, primeira fase, em 1911, e segunda fase. Integrou também a Sociedade Literária Apeles Porto Alegre, em 1883 e a Sociedade Literária Castro Alves, em 1890. Zeferino Brasil faleceu em Porto Alegre em 02 de outubro de 1942.

Dados pesquisados em:
MARTINS, Ari. Dicionário Escritores do Rio Grande do Sul. orto Alegre: UFRGS, 1978.

continue lendoVOLTARcontinue lendo

Academia Rio-grandense de Letras

PATRONOS

CADEIRA 21

Alfredo Ferreira Rodrigues

(por Avelino Alexandre Collet)

O acadêmico Alfredo Ferreira Rodrigues, nasceu no dia 12 de setembro de 1865, no distrito de Povo Novo, município de Rio Grande, faleceu em Pelotas no dia 8 de março de 1942, com 77 anos.

Exerceu ao longo da vida várias atividades, como professor, comerciante, industrialista e viajante comercial.

Em plena juventude revelou seu apurado gosto pela literatura. Foi revisor da Livraria Americana, em Pelotas, em 1887. E pela sua proficiência foi guindado à gerência desse estabelecimento gráfico na cidade de Rio Grande, período de tempo...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo