JAIME

ACADÊMICOSQUADRO DE EMÉRITOS

Jaime Vaz Brasil

Jaime Vaz Brasil, nascido em Bagé em 1962, é psiquiatra e escritor. Faz parte da geração de artistas surgida nos festivais de música do interior gaúcho na década de 80. Possui diversos livros publicados, destacando-se Punhais do Minuano (1991), Caderno dos Espelhos (1993), Os Olhos de Borges (1997), Livro dos Amores (1999), Inventário de Cronos (2002), Pandorga da Lua (2006) e Clave de Sombra (2014). Recebeu vários prêmios literários e em festivais de música (entre eles, o Prêmio Açorianos de Literatura e o Prêmio Felippe d'Oliveira). Alguns dos seus poemas foram musicados, e há dois livros com os poemas em CD: Os Olhos de Borges, musicado por vários compositores, e Pandorga da Lua, musicado por Ricardo Freire. 

Prêmios:

• Indicado ao Prêmio Açorianos de Literatura, por "Os Olhos de Borges"

• Indicado e vencedor do Prêmio Açorianos de Literatura, por "Livro dos Amores" 

• Indicado ao Prêmio Açorianos de Literatura, por "Inventário de Cronos" 

• Indicado e vencedor do Prêmio Açorianos de Melhor Composição para Teatro, em parceria com Flávio Vaz Brasil 

• Vencedor do Prêmio Paulo Sérgio Gusmão, com o poema "O Amor Intestino", integrante do "Livro dos Amores" 

• Vencedor do Concurso Literário Felippe d'Oliveira, com o poema "A Primeira Morte" 

• Vencedor, por três edições, do Prêmio Melhor Letra (Troféu Apparício Silva Rillo), da Califórnia da Canção 

• Cerca de 20 premiações como melhor letrista em outros festivais, com destaque para a Moenda da Canção

continue lendoVOLTARcontinue lendo

Academia Rio-grandense de Letras

Unimed RS

PATRONOS

CADEIRA 1

Manuel de Araújo Porto Alegre

Manuel de Araújo Porto Alegre nasceu em Barão de Santo Ângelo, Rio Pardo, Rio Grande do Sul, em 29 de novembro de 1806, filho de Francisco José de Araújo e Francisca Antônia Viana de Araújo. Completou a Escola Primária em Porto Alegre e estudou Belas Artes no Rio de Janeiro. Nesta área destacou-se, ganhando prêmios e ministrando cursos.

Foi co-diretor da revista brasileira Niterói (Paris, 1826), co-fun-dador do Conservatório Dramático Brasileiro (Rio de Janeiro, 1843), co-diretor da Lanterna Mágica (Rio de Janeiro, 1845), diretor da Academia...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo