NOTÍCIAS

Academia de Escritores do Litoral Norte: nota sobre o incêndio no Museu Nacional

04 de setembro de 2018

O sinistro lamentável acontecido neste fim de semana, atingindo totalmente o Museu Nacional, revela ao mundo, infelizmente, que nosso país não recebe de seus governantes a atenção e o respeito que deveriam dar à história de um povo, o povo brasielrio. O respeito e a atenção a uma nação onde o valor da existência do humano e seus feitos é deixado de lado. Onde aqueles que deveriam propiciar a todos educação, cultura e vida, sem a necessidade de seleção de raça, credo ou prestígio, simplesmente os ignoram.
É tempo de repensarmos nossas prioridades! É tempo de lutarmos por nossas vidas de ontem, hoje e amanhã! É tempo de levantarmos a cabeça e sentirmos orgulho de nosso país, orgulho de sermos brasileiros!
Cultura, tradição e educação são as marcas de um povo.
Sejamos Povo Culto na História!

 

Célia Victorino
Vice-Presidente da Academia de Escritores do litoral Norte - RS

 

Academia Rio-grandense de Letras

Unimed RS

PATRONOS

CADEIRA 32

Pedro Velho

Pedro de Castro Velho nasceu em Cachoeira do Sul, Rio Grande do Sul, em 29 de junho de 1879, sendo filho de Francisco Velho e Dulce de Castro Velho. Poeta boêmio nunca teve ocupação certa. Foi um dos mais populares da geração literária de seu tempo em Porto Alegre. Faleceu em Porto Alegre, capital gaúcha, no dia 06 de setembro de 1919.

Bibliografia: Ocasos, versos, Porto Alegre, Livraria Americana, 1906. 2a. Edição com acréscimos, póstuma, Porto Alegre, Globo, 1920. Inéditos e esparsos de Pedro Velho publicados por Walter Spalding...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo