NOTÍCIAS

Academia Rio-Grandense de Letras visita Legislativo da capital

04 de junho de 2019

A presidente da Câmara Municipal de Porto Alegre, vereadora Mônica Leal (PP), recebeu, na tarde desta terça-feira (4/6), a visita do presidente da Academia Rio-Grandense de Letras (ARL), Rafael Bán Jacobsen. Na oportunidade, Jacobsen mencionou que a Academia tem mais de um século de história e a intenção dele, enquanto gestor atual, é buscar captação e parceiros para a concretização do projeto “Memorial dos Imortais”. 

"Desde a gestão anterior à minha, temos a proposta de criação do Memorial”, relatou o presidente, ao destacar que um dos motivos de esse projeto não ter se concretizado, é porque a Academia não possui uma sede própria, em que pese ocupe uma sala no Centro Histórico da capital. Durante a visita, sublinhou a missão da ARL de congregar as pessoas que têm trajetória na literatura gaúcha; valorizar as letras; e preservar a memória. “Muitos dos nomes de ruas são de figuras importantes que passaram pela Academia, como José Simões Lopes Neto”, exemplificou. 

Por ter sido secretária de Cultura do Rio Grande do Sul, Mônica relatou que, desde sempre, compreende a preservação da memória como de extrema importância. Por isso, a vereadora colocou o Legislativo à disposição, fez sugestões de captação/parceria e, por fim, afirmou: “Levaremos a questão para uma análise jurídica e posterior exame da Mesa Diretora”. 

Texto: Bruna Schlisting Machado (estagiária de Jornalismo)

Edição: Helio Panzenhagen (reg. prof. 7154)

Fonte: Site da Câmara de Vereadores de Porto Alegre 

anteriorANTERIORanteriorpróximaPRÓXIMApróxima todasTODAStodas

Academia Rio-grandense de Letras

Unimed RS

PATRONOS

CADEIRA 40

Alceu Wamosy

Alceu de Freitas Wamosy nasceu em Uruguaiana, Rio Grande do Sul, em 14 de fevereiro de 1895, filho de José Afonso Wamosy e Maria de Freitas Wamosy. Es-tudou no Colégio Urugiiaianense, de sua cidade natal e em Alegrete. Jornalista desde a adolescência, Alceu Wamosy iniciou-se como redator de A Cidade em 1909 na cidade de Alegrete. Em 1911 já dirigia o mesmo.

Em Porto Alegre, foi redator, em 1915, de O Diário e A Federação. Em 1918, foi diretor em Santana do Livramento de O Republicano. Em 1923, com o início da Revolução...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo