NOTÍCIAS

Nota de falecimento: Acadêmico José Moreira da Silva (01/04/2020)

02 de abril de 2020

É com imenso pesar que a Academia Rio-Grandense de Letras noticia o falecimento de José Moreria da Silva, ocupante da Cadeira 36 do sodalício, ocorrido no dia 01 de avril de 2020, às 15 horas, na Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre. 

Nascido em Paudalho, Pernambuco, em 24 de junho de 1927, José Moreira da Silva foi Oficial do Exército Brasileiro, escritor, poeta, ativista cultural e maçom. Publicou, em poesia: Paixão - Fruto Maduro - InfinitoFiligranas de AmorCiclo dos AmantesAtilhos, Flor de Outono, O Bailado das Chamas; em prosa: Trilhas Literárias ITrilhas Literárias II e Trilhas Literárias III, entre outros títulos. Participou ativamente da revista Caosótica, do jornal RSLetras e do jornal de Nova Bréscia. Um dos mais antigos associados da Casa do Poeta Rio-Grandense. Participou de um sem número de antologias de diversas entidades culturais do RS e de outros Estados do Brasil, como sócio ativo de muitas delas. Foi fundador da Academia Literária Gaúcha - ALGA; membro da Academia de Artes Ciências e Letras Castro Alves e da Academia de Letras do Brasil; Vice-Presidente da Academia Sul-Brasileira de Letras, da Academia Maçônica de Letras e do Instituto Cultural Português. Foi também membro correspondente da Academia Rio-Grandina de Letras. 

José Moreira da Silva tomou posse na Academia Rio-Grandense de Letras em 28 de outubro de 2010, na sucessão de Lothar Hessel. 

O velório ocorreu das 9h às 11h30min do dia 02 de abril, no Cemitério Jardim da Paz, em Porto Alegre, em cerimônia reservada aos familiares. 

Academia Rio-grandense de Letras

PATRONOS

CADEIRA 15

Múcio Scevola Lopes Teixeira

(por Anselmo F. Amaral)

A literatura sul-rio-grandense tomou forma própria, com conteúdo regionalista, e expandiu-se a partir da fundação da Sociedade Partenon Literário, em 1868. Iniciativa de um grupo de jovens liderados por Apolinário Porto Alegre. Ali figuraram nomes como: Júlio de Castilhos, Assis Brasil, Fernando Osório (pai), Homero Batista, Lobo da Costa, Revocata dos Passos Ligueroa de Melo e o próprio Caldre e Fião.

Em meio àquela plêiade de escritores, artistas e homens de ciência apareceu um jovem poeta com, apenas, treze anos...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo