NOTÍCIAS

Vice-Presidente da Academia é Patrona da 65ª Feira do Livro de Porto Alegre

16 de outubro de 2019

Marô Barbieri, Vice-Presidente Administrativa da Academia Rio-Grandense de Letras, é a patrona da 65ª Feira do Livro de Porto Alegre. 

O lançamento da 65ª Feira do Livro de Porto Alegre ocorreu nesta quarta-feira (16), na Fábrica do Futuro POA. No evento, foi apresentado o tema deste ano "Curiosidade é o que nos move", o vídeo oficial da campanha, além de destaques das programações adulta e infanto-juvenil.

Marô Barbieri é a oitava mulher a ocupar o posto. Nesta quarta-feira (16), ela recebeu o patronato das mãos de Maria Carpi, patrona da edição passada. "Eu como professora, como contadora de história, como escritora fico imensamente feliz de ser escolhida patrona. Muito obrigada por terem me dado um dos mais lindos momentos de felicidade", disse ela em seu discurso de apresentação.

Professora de Português, Francês e Literatura, lecionou em escolas tradicionais da capital gaúcha. No final da década de 1980, começou a publicar seu trabalho autoral voltado ao público infantil. Recentemente, também escreveu obras para jovens e adultos.

Sua contribuição para a Literatura vai muito além de escrever. Ela também atua como produtora cultural, ministra oficinas e dá palestras, já tendo participado de eventos nacionais e internacionais. Foi presidente da Associação Gaúcha de Escritores durante três biênios. 

Fonte: Feira do Livro de Porto Alegre / Câmara Rio-Grandense do Livro

Imagem: Guilherme Testa (Correio do Povo)

 

Academia Rio-grandense de Letras

Unimed RS

PATRONOS

CADEIRA 37

Felipe de Oliveira

Felipe Daudt d'Oliveira nasceu em Santa Maria, Rio Grande do Sul, em 23 de agosto de 1890, filho de Felipe Alves d'01iveira e Adelaida Daudt d'01iveira. Cursou o ensino primário em Santa Maria e o secundário na Escola Brasileira em Porto Alegre. Freqüentou a Faculdade de Medicina de Porto Alegre, onde concluiu o curso de Química.

Foi redator de O Combatente de Santa Maria em 1908, de O País do Rio de Janeiro, a partir de 1922, e, depois, da Gazeta de Notíciase da Revista Fon-Fon. Desenvolveu no Rio de Janeiro...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo