TEXTOSRESENHAS

Resenha de "A Saúde dos Ventos", de Waldomiro Manfroi - José Carlos Rolhano Laitano

27 de janeiro de 2016


 
A Saúde dos Ventos, de Waldmiro Manfroi é livro para ler sem pressa. Traça extenso panorama a respeito da Medicina em particular, desde os gregos, sob o olhar da literatura, incluindo  personagens que viveram no início do século passado; e panorama da Porto Alegre antiga, o que inclui alguns que criaram o Parthenon Litterario.
 
Logo no primeiro capítulo, tendo como justificativa literária a sessão de transmissão de posse na Direção da novata Faculdade de Medidina, os personagens que ali surgem estabelecem, desde logo, o olhar sobre o fazer médico e as escolas de Medicina.
 
E nesse mesmo capítulo, o Autor insere um poema sensível que retrata o atendimento de um médico burocrata e sua aflita paciente.
 
O viés literário escolhido por Waldomiro Manfroi permite o encontro suave, apetecível do leigo com as questões profundas da Medicina, seu conceito, sua finalidade – e isto sucede mesmo quando aborda aspectos mais técnicos. Um trabalho de difícil execução que profissionais e estudantes da área da saúde têm obrigação de ler, se a sua vontade professional está além de ganhar dinheiro. E todos nós outros que gostamos de romance histórico, nas palavras da Profa. Dulcinea Santos, da Universidade de Pernambuco, que assina o Prefácio.
 
Quase ao final do primeiro volume – o que está publicado – um personagem diz que os três primeiros romances brasileiros foram escritos por médicos.
 
-       Por médicos? – perguntou o Diretor Ramiro Souto, olhando firme para seu interlocutor por sobre os óculos.
-       Por médicos, sim senhor! – respondeu Prof. Humberto, enfático, fornecendo detalhes de sua descoberta.
-      O primeiro, A Moreninha, foi publicado pelo médico Joaquim de Macedo, em 1844; o Segundo e o terceiro pelo também médico Caldre e Fião, A Divina Pastora em 1847, e O Corsário, em 1849.
-       Mas este é um fato auspicioso, que deve ser conhecido pelos professores e pelos alunos! – exclamou o Diretor Ramiro Souto.
-     Também penso assim – respondeu Prof. Humberto. – Durante minha pesquisa, percebi que a Literatura e a Medicina sempre andaram juntas através dos tempos. E havia razões para tanto: ambas se envolvem com o sentimento das pessoas.
 
A Saúde dos Ventos, de Waldomiro Manfroi, é edição da BesouroBox, 2015.

Academia Rio-grandense de Letras

PATRONOS

CADEIRA 8

José Teodoro de Souza Lobo

José Teodoro de Souza Lobo nasceu em Porto Alegre, capital gaúcha, em 07 de janeiro de 1848. Estudou no Colégio do Caraça, Minas Gerais, de 1855 a 1861. De volta à Porto Alegre, passou pelo Seminário Episcopal, formando-se Engenheiro Geógrafo no Rio de Janeiro, pela Escola Central.

Foi redator do jornal carioca Estréia Literária em 1864 e, em 1873, assumiu o cargo de professor da Escola Normal de Porto Alegre, tendo sido vice-diretor da mesma. Foi, ainda, inspetor escolar do Estado do Rio Grande do Sul e autor didático e pertenceu ao Partenon...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo