Airton Ortiz nasceu na vila ferroviária de Bexiga, interior do município de Rio Pardo, em 27 de novembro de 1954. Atualmente, mora em Porto Alegre, onde se formou em Jornalismo pela PUC-RS e fez pós-graduação na UFRGS. Além de escritor profissional, é jornalista especializado em reportagens internacionais sobre a natureza selvagem; criador do gênero Jornalismo de Aventura, no qual é, ao mesmo tempo, repórter e protagonista da reportagem. Estreou como escritor profissional em 1999, ao publicar, pela Editora Record, do Rio de Janeiro, o livro Aventura no Topo da África.
Devido ao conteúdo jornalístico aliado à forma literária dada em seus relatos, seus livros estão sendo utilizados como leitura complementar em diversos cursos de pós-graduação em Jornalismo Literário.
Airton Ortiz já gravou muitos documentários especiais para a televisão, todos sobre aventuras. Como fotógrafo, tem um acervo com 50 mil fotos da maioria dos países do mundo, especialmente sobre natureza selvagem.
Suas viagens radicais ao redor do planeta aliadas à sua experiência como administrador de empresas o tornaram um dos mais requisitados conferencistas nas áreas de Planejamento e Motivação, prestando consultoria para importantes empresas no Brasil, além de fazer palestras em escolas e feiras do livro por todo o país. 
Foi patrono de Feira do Livro de Porto Alegre no ano de 2014. 
 
 
Prêmios
 
  • Os livros Na Estrada do Everest e Pelos caminhos do Tibete foram finalistas do Prêmio Açorianos de Literatura. 
  • Expresso para a Índia ganhou o Prêmio Euclides da Cunha, da União Brasileira de Escritores, como o melhor livro de ensaio lançado no Brasil no ano do seu lançamento. 
  • Travessia da Amazônia ganhou o Prêmio Livro do Ano da Associação Gaúcha de Escritores, como melhor livro de não-ficção escrito por um autor gaúcho no ano do seu lançamento. Egito dos faraós foi finalista do mesmo prêmio. 
  • O livro Na Trilha da Humanidade se originou de uma série com 12 reportagens, 24 páginas, publicada no jornal Zero Hora, de Porto Alegre, em 2005. A matéria foi finalista do Prêmio Esso de Jornalismo, a mais importante e tradicional condecoração da mídia brasileira. 
  • O livro Em busca do Mundo Maia se originou de uma série seis reportagens publicadas no Jornal do Povo, de Cachoeira do Sul, onde, em 12 páginas, relata sua expedição à América Central. A matéria, que aborda a extinção da cultura dos maias, ganhou o Prêmio ARI de Jornalismo, o mais tradicional e importante da mídia gaúcha, onde obteve o primeiro lugar na categoria reportagem cultural.
 
Obras destacadas:
 
  • Aventuras pelo mundo: Nova York. Benvirá, 2015
  • Aventuras pelo mundo: Paris. Benvirá, 2014
  • Foi o que coube na mochila. Artes & Ofícios, 2013
  • Aventuras pelo mundo: Atenas. Benvirá, 2013
  • Gringo. Editora Record, 2012
  • Expedições Urbanas: Jerusalém. Editora Record, 2011
  • Expedições Urbanas: Havana. Editora Record, 2010
  • Aqui dentro há um longe imenso. Editora Saraiva, 2010
  • Vietnã pós-guerra. Editora Record, 2009
  • Cartas do Everest. Editora Record, 2008
  • Em busca do mundo Maia. Editora Record, 2007
  • Na trilha da humanidade. Editora Record, 2006
  • Egito dos Faraós. Editora Record, 2005
  • A travessia da Amazônia. Editora Record, 2004
  • Expresso para a Índia. Editora Record, 2003
  • Cruzando a Última Fronteira. Editora Record, 2002
  • Pelos caminhos do Tibete. Editora Record, 2001
  • Na estrada do Everest. Editora Record, 2000
  • Aventura no topo da África. Editora Record, 1999