Na reunião ocorrida na última quinta-feira, dia 30/11/2017, os membros da Academia Rio-Grandense de Letras escolheram Luís Fernando Verissimo como o agraciado com o Troféu Escritor do Ano do Prêmio Academia Rio-Grandense de Letras. O Troféu Escritor do Ano pretende homenagear um autor do estado que tenha obra relevante, com permanência, persistência e qualidade, independente de gênero literário.
 
Luís Fernando Verissimo é cronista, humorista, cartunista, tradutor, roteirista de televisão, autor de teatro e romancista. Com mais de 60 títulos publicados, é um dos mais populares escritores brasileiros contemporâneos, criador de personagens memoráveis como Ed Mort, a Velhinha de Taubaté, o Analista de Bagé, as Cobras, a Família Brasil e Dora Avante.
 
A cerimônia de entrega do Prêmio Academia Rio-Grandense de Letras ocorrerá no Centro Cultural CEEE Erico Verissimo (Rua dos Andradas, 1223 - Centro Histórico, Porto Alegre - RS), no Auditório Barbosa Lessa, no dia 12 de dezembro de 2017, às 19 horas. Após a cerimônia, será oferecido um coquetel aos presentes.

Na reunião ocorrida nesta quinta-feira, dia 06 de agosto de 2015, o Prof. Luiz Osvaldo Leite foi eleito membro da Academia Rio-Grandense de Letras. Os acadêmicos presentes o elegeram, por unanimidade, como o novo ocupante da Cadeira 33, cujo patrono é César de Castro e cujo último ocupante foi Clóvis Assumpção.  

Bacharel e licenciado em Filosofia, Luiz Osvaldo Leite também frequentou o curso de Teologia da Faculdade Cristo Rei, de São Leopoldo, que originou a Unisinos. Fez diferentes cursos de pós-graduação, entre eles o de especialização em Orientação Educacional; o Programa do Premem, concluído na Universidade da Califórnia, em San Diego, nos Estados Unidos; e o de Filosofia, na UFRGS.

Atuou como professor do Ensino Médio e Fundamental em diversas escolas de Porto Alegre, como Colégio Anchieta e Infante Dom Henrique. Foi professor da UFRGS durante muitos anos, e também integrou o corpo docente da PUCRS, Unisinos, Furg, Feevale e Fapa.

Já ocupou o cargo de presidente da Ospa, diretor da Divisão de Cultura da Prefeitura Municipal de Porto Alegre, diretor da editora da UFRGS, chefe de gabinete do reitor e diretor do Instituto de Psicologia da mesma universidade. Foi conselheiro do Conselho Municipal do Patrimônio Artístico, Histórico e Cultural (Compahc) e membro do Conselho Estadual da Cultura, do Conselho da Ospa, do Comitê de Ética da UFRGS.

Publicou uma centena de obras, capítulos de livros e artigos, da área de Filosofia, Educação Ética, História, Psicologia e Teologia. Em 2012, lançou a autobiografia “Octogesima adveniens: chegando aos oitenta”.

Entre os títulos honoríficos, destacam-se: Professor Emérito da UFRGS; Medalha Cidadão de Porto Alegre; Prêmio Joaquim Felizardo, na área do Memória Cultural; Troféu Destaque UNITV; Troféu Açorianos de Música, Menção Especial; Comenda do Liceu Musical Palestrina; Comenda Santa Cecília (Ospa) e Medalha Simões Lopes Neto do Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

 

O acadêmico Moacyr Flores, convidado pelo Senador Paulo Paim, compareceu à Audiência Pública, na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado Federal, para debater a Revolução Farroupilha, dia 20.9.2011, na Ala Senador Nilo Coelho, Plenário nº 2, Anexo II, Senado Federal, Brasília. O tema central do debate, negros na Guerra Civil dos Farrapos, com ênfase na atuação dos lanceiros, foi amplamente debatido.

O livro de poemas “Geometria do Amor”, do acadêmico José Eduardo Degrazia, foi publicado na Moldávia, com tradução para o romeno de Nicolae Dabija e ilustrações de Iurie Brasoveanu. 
Na terra natal do grande poeta Mihail Eminescu, o livro de José Eduardo Degrazia atraiu imediatamente a atenção dos leitores de poesia no país, sendo considerado um importante evento literário neste ano de 2015.
O periódico da União do Escritores da Moldávia publicou alguns poemas do livro, destacando seu autor como “um grande poeta do amor”. 
 
 
Capa da edição de "Geometria do Amor" na Moldávia