O acadêmico Ruben Daniel Méndez Castiglioni publicou, recentemente, um artigo na Revista Mélusine, antigo e consagrado periódico dirigido por Henri Béhar, ex-reitor da Sorbonne.
 
O trabalho, intitulado "Aldo Pellegrini e o Surrealismo na Argentina", trata deste dramaturgo, ensaísta, tradutor e crítico de arte e literatura, que foi difusor e defensor infatigável do surrealismo em seu país. Em seu artigo, o acadêmico Ruben Castiglioni apresenta o personagem, seu percurso intelectual e seu papel de pioneiro na implantação e organização do surrealismo no Cone Sul. o texto está no volume XXXV da revista.
 
Saiba mais no site da Revista Mélusine, clicando AQUI
 
Informações adicionais sobre o conteúdo do volume XXXV da Revista Mélusine podem ser acessados AQUI
 
 
 
 

No dia 13 de junho de 2016, o acadêmico Ruben Daniel Méndez Castiglioni, ocupante da Cadeira 31, foi aprovado no concurso para o cargo de professor titular do Instituto de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. O acadêmico, que já ocupava a função de professor associado na UFRGS, é coordenador do projeto de pesquisa "Academias Literárias do Rio Grande do Sul: escritores de seu tempo e circunstância".

Além disso, acaba de ser lançado o livro “Velis, Nolis, Cervantes!” (Editora do Instituto de Letras/UFRGS), que conta com sua organização, em parceria com a professora Estefanía Bernabé Sánchez. A obra reúne ensaios sobre a vida e obra do eminente escritor espanhol, pai do romance moderno. 

O Prêmio Açorianos de Literatura Adulta e Infantil, promovido pela Prefeitura de Porto Alegre, por meio da Secretaria da Cultura (SMC) e Coordenação do Livro e Literatura, chegou à sua 23ª edição e divulgou hoje (28/10/2016) seus finalistas durante a 62ª Feira do Livro de Porto Alegre.
Entre os finalistas, estão os acadêmicos Caio Riter, concorrendo na categoria “Infantil” com o livro “Bichos daqui, de lá e de além” (ilustrações de Anuska Allepuz, Editora Edelbra) e Cláudio Moreno, concorrendo na categoria “Crônicas” com o livro “Noites Gregas” (L&PM Editores).
O julgamento ocorre em várias categorias, literárias e não-literárias, e em duas etapas de avaliação: a dos Júris Específicos (indicam os finalistas e, dentre esses, os vencedores em cada categoria) e a do Júri Final, o qual indica o Livro do Ano entre os vencedores das várias categorias literárias.
Na Noite do Livro, em 28 de novembro, às 20h, no palco do Teatro Renascença (Av. Érico Verissimo, 307), conheceremos os vencedores em cada categoria e o Livro do Ano, cujo autor receberá, além do troféu criado por Xico Stockinger, um prêmio no valor de dez mil reais.