NOTÍCIAS

Airton Ortiz é o novo presidente da Academia Rio-Grandense de Letras

20 de novembro de 2022

(Notícia originalmente publlicada no Jornal Correio do Povo. Texto e fotografia de Adriana Androvandi.)
O escritor Airton Ortiz é o novo presidente da Academia Rio-Grandense de Letras. A posse foi realizada no encerramento do 3º Congresso Estadual das Academias de Letras, realizado de 17 a 19 de novembro, em Passo Fundo. Ortiz substitui Rafael Bán Jacobsen, que permanece na diretoria como tesoureiro. O novo vice-presidente é o escritor e editor Rossyr Berny (editora Alcance).
Ortiz já foi patrono da Feira do Livro de Porto Alegre em 2014. O novo presidente anunciou que a Academia precisa acompanhar o mundo contemporâneo, que está em constante movimento e trabalhar pelo incentivo à leitura. "Quanto aos jovens, quem vai fazer diferença no mundo é quem lê”, opina.
Nesta edição, a Academia Passo-Fundense de Letras (APLetras), que tem à frente como presidente Marilise Lech, recebeu representantes de nove academias, de vários municípios. O evento teve palestras e momentos de confraternização na sede da APLetras, que funciona em um casarão histórico ao lado da Secretaria Municipal de Cultura, na Avenida Brasil, Centro do município. Também foram realizadas visitas a espaços culturais de Passo Fundo, como ao Instituto Histórico. Participantes também conheceram a biblioteca de livros raros de Medicina, que fica no Instituto de Ortopedia e Traumatologia do RS (IOT), em uma iniciativa do acadêmico e médico Osvandré Lech.
Os palestrantes trocaram experiências sobre seus trabalhos. Luiz Coronel, que fez uma brilhante conferência citando vários escritores, como Jorge Luiz Borges, Jean Paul Sartre, Julio Cortázar, Eugênio de Andrade, Miguel Unamuno, entre outros, destacou “o livro como uma das possibilidades de felicidade”. Questionado sobre como atingir os jovens, ele falou de sua experiência de fazer vídeos com seus poemas e colocar no YouTube, procurando ampliar as plataformas de acesso à literatura.
Ironi de Andrade, de Passo Fundo, falou de sua experiência de vida. Quando era estudante, considerava os escritores como “deuses”. E agradece a um professor que lhe disse que os escritores eram “pessoas como nós”, de maneira que, a partir de então, conseguiu se identificar com eles. Ironi já foi presidente APLetras.
Percival Puggina, palestrante no último dia, sugeriu um projeto em que as Academia de Letras prestigiem resultados de escolas que tenham os melhores resultados no INEP, como forma de incentivo ao acesso à cultura de qualidade. Marilise Lech destacou a experiência feita em Passo Fundo. “Foi um congresso poético pelo conteúdo e pela convivência”, concluiu.
O próximo Congresso Estadual das Academias de Letras será realizado em Santa Cruz do Sul.
 

Academia Rio-grandense de Letras

PATRONOS

CADEIRA 12

Francisco Lobo da Costa

Francisco Lobo da Costa nasceu em Pelotas, Rio Grande do Sul, em 18 de julho de 1853, sendo filho de Antônio Cardoso da Costa e Jacinta Júlia Lobo Rodrigues. Fez o curso de alfabetização na Biblioteca Pelotense. Foi, em Pelotas, auxiliar de escritório em 1867 e praticou telegrafia em 1870.

Destacou-se como redator de O Comércio em 1870 e fundador c diretor da revista Castália, no mesmo ano. Foi ainda redator do Eco do Sul, de 1872 a 1873, de O Investigador em 1873, do Jornal do Comércio de Pelotas em 1876, do 11 de junho, em...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo