TEXTOSDISCURSOS

Saudação a José Alberto Wenzel - José Carlos Laitano (22/07/2021)

22 de julho de 2021

Excelentíssimo Senhor Professor Rafael Bán Jacobsen, digníssimo Presidente da Academia Rio-Grandense de Letras.

Em seu nome saúdo a todos os confrades e confreiras desta Academia, das academias brasileiras, e demais pessoas que nos estejam assistindo, em especial a nossa sempre querida Senadora Ana Amélia Lemos.

 

José Alberto Wenzel é cidadão do mundo.

Geólogo, analista ambiental e político na melhor forma de dizer. Foi vereador e prefeito no município de Santa Cruz do Sul e Senador suplente na companhia de Ana Amélia Lemos. Foi Secretário estadual do Meio- Ambiente, das Relações Institucionais e Chefe da Casa Civil do Governo rio-grandense. Foi assessor na Comissão de Educação da Assembleia Legislativa e exerceu a presidência da Fundação Zoobotânica.

José Alberto Wenzel é homem do mundo das letras.

Foi autor de narrativa ficcional com título que, por si só, bastaria para guindá-lo a esta Academia, tanto é maravilhoso o título: "A menina que decorava túmulos". Publicou muitas outras obras na área da literatura de ficção: "A alma morre antes"; "Asa dourada"; "Migalha inteira"; "Cheguei, posso partir".

Escreveu várias obras com conteúdo técnico: "Fepam: raízes, trincheira e farol"; "Natália Missioneira"; "Cinturão Verde, e agora?"; "Exercícios ambientais"; "Pampa Verde: ecologia, ruptura, método e síntese"; "Caminho da RSC 471 – eixo norte: uma experiência geoambiental gaúcha"; "Ecologia real ou utopia ambiental".

Como intelectual destacado por sua cultura e competência, sendo pós-graduado em Química Analítica, com formação em Geologia, Mestre em Desenvolvimento Regional, exerceu o magistério na Universidade de Santa Cruz do Sul e outros educandários. Está desenvolvendo estudos interfaciais acerca da busca pelas sínteses intentadas por Balduíno Rambo, Pierre Teihlard de Chardin e Bernard Lonergan – os três jesuítas, teólogos e grandes pensadores dedicados à Filosofia, Teologia e Natureza. Posso imaginar o profundo conteúdo do texto que está sendo construído pelo agora nosso Wenzel.

E encontra tempo para escrever "Morte e Natureza: interação transgressora", sendo este um título provisório.

Homem de letras, não bastasse tanto para torná-lo aceitável e necessário para o nosso Sodalício maior, é membro destacado da excelente Academia de Letras de Santa Cruz do Sul e integrante da Comissão Editorial da "FEPAM Em Revista".  E como articulista publicou duas centenas de textos para jornais como Zero Hora, Correio do Povo, Gazeta do Sul, Jornal do Comércio, RioVale, Diário Regional, além de contribuições em antologias, periódicos os mais diversos, apresentando dissertações em seminários e congressos.

José Alberto Wenzel, cidadão do mundo e das letras, mais não precisa mostrar porque, definitivamente, nós membros da Academia Rio-Grandense de Letras e a cultura gaúcha como um todo, necessitamos da sua presença, da sua inteligência e da sua participação para que continuemos a prestar serviço essencial à sociedade.

Seja bem-vindo, Confrade. Que sua esposa e filhos, além dos seus amigos, recebam nosso abraço caloroso.

Academia Rio-grandense de Letras

PATRONOS

CADEIRA 28

João da Silva Belém

(por Antônio Augusto Ferreira)

Anos, que nos consideramos privilegiados pelo presente desenvolvimento dos meios de comunicação cultural, em que sobressai o recurso da Internet, sempre surpreende e intriga o fato de que, no passado, tantos espíritos, esses, sim, privilegiados, tenham sido capazes de criar obras de que nos valemos, hoje, para a compreensão de nossa subjetividade e de nossa história. Dentre essas pessoas de talento incomum destaca-se, no Rio Grande do Sul, mais especificamente em Santa Maria, João da Silva Belém, uma espécie de multimídia da época:...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo