CADEIRA 32

ACADÊMICOSQUADRO ACADÊMICO

Pedro Velho

Pedro de Castro Velho nasceu em Cachoeira do Sul, Rio Grande do Sul, em 29 de junho de 1879, sendo filho de Francisco Velho e Dulce de Castro Velho. Poeta boêmio nunca teve ocupação certa. Foi um dos mais populares da geração literária de seu tempo em Porto Alegre. Faleceu em Porto Alegre, capital gaúcha, no dia 06 de setembro de 1919.

Bibliografia: Ocasos, versos, Porto Alegre, Livraria Americana, 1906. 2a. Edição com acréscimos, póstuma, Porto Alegre, Globo, 1920. Inéditos e esparsos de Pedro Velho publicados por Walter Spalding na Revista de Erexim, Erexim, v. 3, n. 25, julho de 1963. Inédita: Mau humor, de onde teriam sido extraídos muitos dos trabalhos publicados na imprensa e acima referidos, cujos originais, cedidos por uma irmã do autor, encontram-se no arquivo de Dario de Bittencourt e constam principalmente de versos humorísticos e satíricos.

Dados pesquisados em:
MARTINS, Ari. Dicionário Escritores do Rio Grande do Sul. orto Alegre: UFRGS, 1978.

continue lendoVOLTARcontinue lendo

Academia Rio-grandense de Letras

PATRONOS

CADEIRA 9

Ramiz Galvão

Ramiz Galvão: professor, filósofo e cirurgião 

(por Frei Rovílio Costa)

Benjamin Franklin Ramiz Galvão, Barão de Ramiz, médico, professor, fílólogo, biógrafo e orador, nasceu em Rio Pardo, RS, em 16-6-1846, e faleceu no Rio de Janeiro, RJ, em 9-3-1938. Foi eleito a 12-4-1928 para a Cadeira n. 32, da Academia Brasileira de Letras, sucedendo a Carlos de Laet. Foi recebido a 23-6-1928, pelo acadêmico Fernando Magalhães. É patrono da Cadeira n. 9 da Academia Riograndense de Letras.

Filho de João Galvão e de Maria...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo