ACADEMIAS DO RIO GRANDE DO SUL

A Academia Rio-Grandense de Letras, atenta ao seu papel institucional de congregar e incentivar as diversas academia de letras existentes em nosso Estado, tem buscado delas se aproximar e com elas estabelecer intercâmbio. A realização do 1º Congresso das Academias de Letras do RS (em 14/11/2015) e a constituição do Colégios dos Presidentes das Academias de Letras do RS são exemplos de iniciativas que visam a esse objetivo.

A seguir, as entidades congêneres do Estado com as quais a Academia Rio-Grandense de Letras mantém relações institucionais:

  • 1Academia Bageense de LetrasBagé
  • 2Academia Brigadiana de LetrasPorto Alegre
  • 3Academia Carazinhense de LetrasCarazinho
  • 4Academia Caxiense de LetrasCaxias do Sul
  • 5Academia Centro Serra de LetrasSobradinho
  • 6Academia Cruz-Altense de LetrasCruz Alta
  • 7Academia de Artes, Ciência e Letras Condorcet AranhaRestinga Seca
  • 8Academia de Artes, Ciências e Letras Castro AlvesPorto Alegre
  • 9Academia de Escritores do Litoral Norte 
  • 10Academia de Letras de Santa Cruz do SulSanta Cruz do Sul
  • 11Academia de Letras do Vale do Taquari 
  • 12Academia de Letras dos Municipios do RSPorto Alegre
  • 13Academia de Letras e Artes SepeenseSão Sepé
  • 14Academia Erechinense de LetrasErechim
  • 15Academia Internacional de Artes, Ciências e Letras
    ‘A Palavra do Século 21’
    Cruz Alta
     

  • 16Academia Literária do Vale do Rio dos Sinos 
  • 17Academia Literária Feminina do RS 
  • 18Academia Passo-Fundense de LetrasPasso Fundo
  • 19Academia Pelotense de LetrasPelotas
  • 20Academia Rio-Grandina de LetrasRio Grande
  • 21Academia Santa-Mariense de LetrasSanta Maria
  • 22Academia Santanense de LetrasSantana do Livramento
  • 23Academia Santiaguense de Letras Santiago
  • 24Academia Santo-Angelense de LetrasSanto Ângelo
  • 25Academia Soledadense de LetrasSoledade
  • 26Academia Sul-Brasileira de LetrasPelotas
  • 27Academia Uruguaianense de LetrasUruguaiana

Academia Rio-grandense de Letras

PATRONOS

CADEIRA 32

Pedro Velho

Pedro de Castro Velho nasceu em Cachoeira do Sul, Rio Grande do Sul, em 29 de junho de 1879, sendo filho de Francisco Velho e Dulce de Castro Velho. Poeta boêmio nunca teve ocupação certa. Foi um dos mais populares da geração literária de seu tempo em Porto Alegre. Faleceu em Porto Alegre, capital gaúcha, no dia 06 de setembro de 1919.

Bibliografia: Ocasos, versos, Porto Alegre, Livraria Americana, 1906. 2a. Edição com acréscimos, póstuma, Porto Alegre, Globo, 1920. Inéditos e esparsos de Pedro Velho publicados por Walter Spalding...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo