CADEIRA 22

ACADÊMICOSQUADRO ACADÊMICO

Sérgio Augusto Pereira de Borja

Sérgio Augusto Pereira de Borja (Porto Alegre, 2 de novembro de 1949) é um advogado e professor universitário brasileiro.

Em 1992 foi o primeiro brasileiro a entrar com o pedido de impeachment de Fernando Collor. Em 2006 entrou com pedido de impeachment do presidente Lula.

Tem denunciado através de uma legítima advocacia pública o processo de desmonte do Estado, da Constituição e a degradação social que leva à violência e ao sucateamento da saúde e educação.

Conferencista e escritor, membro da Academia Rio-Grandense de Letras, tem percorrido o estado fazendo conferências.

Foi professor de Direito Constitucional, Ciência Política e História do Direito na PUC/RS; é professor de Teoria Geral do Direito, Direito das Obrigações, Direito Agrário e Instituições de Direito, na Faculdade de Direito da UFRGS.

Escritor com vários livros publicados na área de direito constitucional, integração americana, ciência política e poesia. Articulista, publicou seus artigos, em revistas jurídicas e na grande imprensa. Recebeu em 1997, da Comissão do Mercosul, daAssembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul o Diploma de Colaborador Emérito. Premiado com o Troféu Obirici em 2007, como destaque social e profissional.

Foi condecorado com a mais alta comenda da OAB, a Medalha Osvaldo Vergara.

Presidiu a Academia Rio-Grandense de Letras em 2013, 2014 e 2015. 

Site pessoal: http://www.sergioborja.com.br/

Mais informações no Currículo Lattes do acadêmico.

 

Obras:

  • Ronda alta, 1981
  • Pele madura, 1984
  • Contra corja, 1988
  • Impeachment, 1992
  • Teoria Geral dos Tratados - Mercosul - A Luta Pela União Latino-Americana, 2001
  • O Projeto Democrático, 2001
continue lendoVOLTARcontinue lendo

Academia Rio-grandense de Letras

PATRONOS

CADEIRA 30

Gregório da Fonseca

Gregório Porto da Fonseca nasceu em Cachoeira do Sul, Rio Grande do Sul, em 17 de dezembro de 1875, filho de Marcos Gonçalves da Fonseca Ruivo e Luiza Mariana Porto da Fonseca. Estudou na Escola de Guerra de Porto Alegre. Oficial do exército, Gregório da Fonseca foi reformado como tenente-coronel.

De 1930 a 1934 foi Secretário da Presidência da República. Apesar de ser nomeado Embaixador do Brasil junto à Santa Sé, não chegou a assumir o posto. Poeta, conferencista e crítico, Gregório da Fonseca foi membro do Clube Literário...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo