CADEIRA 38

ACADÊMICOSQUADRO ACADÊMICO

Eduardo Guimarães

Eduardo Gaspar da Costa Guimarães nasceu em Porto Alegre no dia 30 de março de 1892, filho de Gaspar da Costa Guimarães e Balbina da Silveira Guimarães. Estudou na Escola Pública da Prof. Isabel Gama, no Colégio Rio-Grandense e no Colégio Júlio de Castilhos. Foi redator de A Hora e Rio Jornal, ambos no Rio de Janeiro em 1912. Foi funcionário público estadual desde 1913, tendo servido na Biblioteca Pública Estadual como diretor dessa instituição a partir de 1922, permanecendo no cargo até o seu falecimento.

Em Porto Alegre foi redator do jornal A Federação, diretor da Revista Máscara, fundador da revista Mensário do Sul e membro e fundador da Sociedade Sul-Rio-Grandense de Belas Artes. Pertenceu ao grupo de neo-simbolistas do Rio Grande do Sul, a que pertenceram também Homero Prates, Álvaro Moreira, José Picorelli e Felipe d'Oliveira. Usava os pseudônimos de Lúcio Del Rio, Paulo Rubens, Paulo Del Rio, Toni Clown e Tristão Domingues. Sua obra máxima é A Divina Quimera, versos publicados em 1916. Faleceu em 13 de dezembro de 1928 no Rio de Janeiro.

Dados pesquisados em:
MARTINS, Ari. Dicionário Escritores do Rio Grande do Sul. orto Alegre: UFRGS, 1978.

continue lendoVOLTARcontinue lendo

Academia Rio-grandense de Letras

PATRONOS

CADEIRA 12

Francisco Lobo da Costa

Francisco Lobo da Costa nasceu em Pelotas, Rio Grande do Sul, em 18 de julho de 1853, sendo filho de Antônio Cardoso da Costa e Jacinta Júlia Lobo Rodrigues. Fez o curso de alfabetização na Biblioteca Pelotense. Foi, em Pelotas, auxiliar de escritório em 1867 e praticou telegrafia em 1870.

Destacou-se como redator de O Comércio em 1870 e fundador c diretor da revista Castália, no mesmo ano. Foi ainda redator do Eco do Sul, de 1872 a 1873, de O Investigador em 1873, do Jornal do Comércio de Pelotas em 1876, do 11 de junho, em...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo