CADEIRA 12

ACADÊMICOSQUADRO ACADÊMICO

Francisco Lobo da Costa

Francisco Lobo da Costa nasceu em Pelotas, Rio Grande do Sul, em 18 de julho de 1853, sendo filho de Antônio Cardoso da Costa e Jacinta Júlia Lobo Rodrigues. Fez o curso de alfabetização na Biblioteca Pelotense. Foi, em Pelotas, auxiliar de escritório em 1867 e praticou telegrafia em 1870.

Destacou-se como redator de O Comércio em 1870 e fundador c diretor da revista Castália, no mesmo ano. Foi ainda redator do Eco do Sul, de 1872 a 1873, de O Investigador em 1873, do Jornal do Comércio de Pelotas em 1876, do 11 de junho, em 1878, de A Tribuna de 1883 a 1885 em Porto Alegre e de A Fronteira em Dom Pedrito.

Poeta e teatrólogo, Lobo da Costa morreu em 19 de julho de 1888. Suas melhores poesias foram organizadas por Mansueto Bernardi em publicadas pela Livraria do Globo em 1927.

Dados pesquisados em:
MARTINS, Ari. Dicionário Escritores do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: UFRGS, 1978.

continue lendoVOLTARcontinue lendo

Academia Rio-grandense de Letras

PATRONOS

CADEIRA 22

Juvenal Octaviano Miller

(por Sérgio Augusto Pereira de Borja)

O Engenheiro Major Juvenal Octaviano Miller, patrono da Cadeira n° 22 da Academia Rio-Grandense de Letras, foi Deputado Estadual, Deputado Federal e Vice-Presidente do Estado do Rio Grande do Sul. Nascido em 13/10/1866 na cidade de Rio Grande em 1881 inscreveu-se como voluntário no 17° Batalhão. Em 1882 foi admitido no curso de Engenharia Militar estudando na Escola Militar do Rio Grande do Sul. Lutando pela República fundou o Jornal A DENUNCIA sendo que fazendo propaganda da Abolição e da República, em virtude de ter escrito carta em solidariedade...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo