NOTÍCIAS

Diálogos profícuos marcaram o II Congresso Estadual de Academias de Letras

03 de dezembro de 2018

O II Conresso Estadual de Academias de Letras foi realizado com grande êxito entre 29/11/2018 e 01/12/2018, na cidade de Santa Maria. Estiveram presentes representantes de 14 academias do Rio Grande do Sul. O evento foi marcado por profícuos diálogos e muita interação, consolidando pautas comuns e o desejo de ainda maior aproximação entre a Academia Rio-Grandense de Letras e todas as instituições congêneres no Estado. 

Na percepção de José Alberto Wenzel, da Academia de Letras de Santa Cruz do Sul, o encontro de cultores das letras potencializa o poder da própria literatuta: "Letras aproximam pessoas mesmo quando estamos sozinhos. Despertam curiosidades. Permitem travessias. Fazem emergir tintas que alfabetam amanheceres diferenciados. Estranhos despertares. Quando tudo o mais parece submergir na penumbra, letras saltitam na busca por acolhimento. Letras também se aborrecem. Preferem horizontes estendidos aos limitados 140 caracteres cotidianos. Textos expandidos aprofundam-se em mistérios bem maiores que os espremidos. A mente anseia por segredos que só as palavras lidas conseguem guardar."

Logo na noite de abertura, foi realizada a posse da nova diretoria da Academia Rio-Grandense de Letras, ocasião em que José Carlos Laitano transmitiu a presidência do sodalício a Rafael Bán Jacobsen.

Ao final do evento, João Marcos Adede y Castro, presidente da Academia Santa-Mariense de Letras, observou: "Só quem teve a oportunidade, como eu, de participar como organizador de um congresso de academias de letras gaúchas pode saber o que é um mundo maravilhoso de literatura. Colegas escritores de todo o Estado irmanados na ideia de pensar a cultura, de realizar o sonho das letras, trocar livros, experiência e expectativas, realizações e frustrações, certezas e dúvidas.Todos com um só objetivo, produzir cultura, manifestar ideias e sonhar com o texto que será lido, um dia. Todos nós que participamos saímos mais ricos de amizades, de conhecimento literário. Todos nós voltamos para nossas casas mais ricos de satisfação de termos participado de um evento ímpar, já ansiosos pelo que acontecerá em 2019 em Passo Fundo."

As principais conclusões do evento foram sintetizadas na Carta de Santa Maria, que pode ser lida na íntegra a seguir:

A Academia Rio-Grandense de Letras e a Academia Santa-Mariense de Letras, nos dias 30 de novembro a 1º de dezembro de 2018, durante a realização do 2º Congresso Estadual de Academia de Letras, na cidade de Santa Maria, estado do Rio Grande do Sul, após ouvirem os participantes e cumprirem a programação oficial do evento, decidiram:

1.    Cobrar a execução do Plano Estadual de Cultura, Lei Estadual nº 14.778, aprovada por UNANIMIDADE pela Assembleia Legislativa do RS e sancionada pelo Governador em 4 de dezembro de 2015.

2.    Manter, ou aumentar, a verba orçamentária estadual destinada à Lei de Incentivo Cultura (LIC), em virtude dela ser gerenciada pelo Conselho Estadual de Cultura, órgão constitucional de Estado, representativo da sociedade cultural do RS.

3.    Incentivar os municípios a criarem os conselhos municipais de cultura, para haver uma maior participação social da comunidade local nas decisões culturais, fato essencial para embasar as decisões do Conselho Estadual de Cultura.

4.    Buscar o espírito de cooperação, solidariedade e ação em grupo para aprofundar a aprendizagem, a qualidade dos textos e a integração das Academias de Letras do Rio Grande do Sul.

5.    Trabalhar para superar todas as dificuldades que impeçam o avanço da literatura gaúcha, alavancando, especialmente, a produção de obras de qualidade, reforçando a importância do Instituto Estadual do Livro (IEL).

6.    Recomendar que o governo estadual e todos os governos municipais, envidem mais e mais esforços, no sentido de minimizar as barreiras existentes para a produção literária.

7.    Empregar esforços para que tais governos reconheçam os Congressos Estaduais de Academias de Letras, quando da apresentação da presente carta, como uma iniciativa legítima de verdadeira integração das academias, representadas por significativa intelectualidade formadora de opinião.

8.    Sensibilizar os governos municipais da importância da realização das feiras de livro, como atividades fundamentais para propagação da leitura, colocando o autor local como figura de destaque, dando-lhe espaço e tempo adequados para a exposição de suas obras junto aos leitores da própria comunidade. Envolver as escolas na leitura prévia das obras que serão debatidas quando da realização da feira do livro, bem como programar a participação dos alunos nas atividades previstas.

9.    Estabelecer a cidade de PASSO FUNDO, para a execução do 3º Congresso Estadual de Academia de Letras, no ano de 2019 e a pré-candidatura das cidades de SANTA CRUZ DO SUL (2020) e SANTO ÂNGELO (2021).


Santa Maria, RS, 1º de dezembro de 2018.
 

 

arlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarlarl

Academia Rio-grandense de Letras

Unimed RS

PATRONOS

CADEIRA 7

Carlos Augusto Ferreira

Carlos Augusto Ferreira nasceu em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, em 24 de outubro de 1844. Concluiu o ensino primário em São Paulo, para onde se mudou em 1865. De volta a Porto Alegre, foi aprendiz de ourives. Em 1871 retornou para São Paulo e passou a ser redator do Correio Paulistano. Foi ainda de 1876 a 1877 co-diretor do Almanaque Popular de Campinas e diretor da Gazeta de Campinas. Durante o período em que viveu no Rio de Janeiro, foi redator do Correio do Brasil.

Exercitou o magistério, uma de suas paixões, e o jornalismo em Amparo, interior de...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo