Rui Cardoso Nunes (São Francisco de Paula, 25 de março de 1919 — Porto Alegre, 8 de julho de 2009) foi jornalista, poeta e escritor.

Nascido na Fazenda do Chapéu, no atual município de Jaquirana, antigo distrito de São Francisco de Paula, também era jornalista, ensaísta e dicionarista. Ainda jovem, veio para a Capital, onde começou a trabalhar em jornal. Não demorou para começar a escrever poesias, um talento que já demonstrava quando criança. Entre tantos poemas que escreveu, seu preferido era Lança Farrapa, que fazia questão de sempre incluir nas antologias publicadas com sua obra. Dedicado ao tradicionalismo, participou da criação do CTG 35, na Capital. Foi o acadêmico que por mais tempo ocupou sua cadeira na Academia Rio-Grandense de Letras (mais de 50 anos). Como Secretário Geral da entidade, ajudou na conquista da sede da Academia Rio-Grandense de Letras, na Rua dos Andradas.

Publicou diversos livros de poesia. Na área de folclore, publicou com Zeno Cardoso Nunes, o Dicionário de Regionalismos do Rio Grande do Sul, em 1997 e o Minidicionário Guasca, em 1994, além de ensaios e artigos em revistas e jornais.