NOTÍCIAS

Conheça os vencedores do Prêmio Academia Rio-Grandense de Letras 2020

14 de dezembro de 2020

Os vencedores da quarta edição do concurso literário da Academia Rio-Grandense de Letras foram revelados hoje, em cerimônia virtual transmitida ao vivo peloa canal do projeto Biblioteca Academia Rio-Grandense de Letras no Facebook. Receberam os troféus de autoria do artista visual Lucas Strey:

TROFÉU APOLINÁRIO PORTO ALEGRE (Crônica)
NAVEGADOR DE BARCO DE PAPEL - JORGE FINATTO - EDIÇÃO DO AUTOR
TROFÉU ALCEU WAMOSY (Poesia)
APENAS POR NÓS CHORAMOS – ANNA MARIANO – PENALUX
TROFÉU CARLOS URBIM (Livro infantil)
TARRAVETA – DANIEL CASSOL E CARLA PILLA – EDIÇÃO DO AUTOR
TROFÉU DYONÉLIO MACHADO (Tese ou dissertação)
AS IRONIAS DE DYONÉLIO MACHADO EM “O LOUCO DO CATI” – JONAS KUNZLER MOREIRA DORNELLES – UFRGS
TROFÉU SIMÕES LOPES NETO (Narrativa curta)  
PROSA PEQUENA – AMÍLCAR BETTEGA – ZOUK
TROFÉU ALCIDES MAYA (Romance)
DOZE LIÇÕES – DANIELA KERN – CLASS

O escritor e cineasta Tabajara Ruas recebeu o Troféu Academia Rio-Grandense de Letras - Escritor do Ano. "De certa maneira, hoje, me sinto escritor, pela obra, pela batalha contra a barbárie", disse durante a homenagem. "Nós temos uma saída, como país mais humano. Como esse trabalho que a Academia faz, de zelar pela beleza pelo meu colega escritor. Em um período de trevas, acredito que é um momento de dar essa sacudida e a Academia pode fazer isso. Me sinto num ponto mais alto porque ganhei um premio da Academia. Não é pouca coisa". Nas edições passadas ,foram homenageados Luis Fernando Verissimo, Armindo Trevisan e Maria Carpi.
O presidente da ARL, Rafael Bán Jacobsen, ressaltou as novas iniciativas da entidade, como o lançamento da Biblioteca Academia Rio-Grandense de Letras e a ampliação da sua sede, com a inclusão do Memorial dos Imortais e do arquivo, ainda não aberto ao público, em razão da pandemia. Agradeceu ao escritor Tabajara Ruas, ressaltando que a obra do homenageado foi muito importante para sua formação como pessoa e escritor.

Academia Rio-grandense de Letras

PATRONOS

CADEIRA 12

Francisco Lobo da Costa

Francisco Lobo da Costa nasceu em Pelotas, Rio Grande do Sul, em 18 de julho de 1853, sendo filho de Antônio Cardoso da Costa e Jacinta Júlia Lobo Rodrigues. Fez o curso de alfabetização na Biblioteca Pelotense. Foi, em Pelotas, auxiliar de escritório em 1867 e praticou telegrafia em 1870.

Destacou-se como redator de O Comércio em 1870 e fundador c diretor da revista Castália, no mesmo ano. Foi ainda redator do Eco do Sul, de 1872 a 1873, de O Investigador em 1873, do Jornal do Comércio de Pelotas em 1876, do 11 de junho, em...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo