TEXTOSENSAIOS

Zeferino Brasil: um poeta gaúcho, uma rua paulistana - Fábio Barreto
30 de dezembro de 2020

por Fábio Roberto Ferreira Barreto [1] E eu não sabia que minha história Era mais bonita que a de Robinson Crusoé (Infância, Carlos Drummond de Andrade)  Introdução Este texto visa a tratar...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo

Academia de Letras: o que é, o que deve ser - José Carlos Laitano
20 de junho de 2018

Por vezes é mais prático começar um debate pela negação: o que não deve ser uma Academia de Letras. Não deve ser palco para egos inchados ou prêmio no ocaso da vida, para reconhecimento como personalidade...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo

Dois nomes - José Carlos Laitano
20 de junho de 2018

Muitas personalidades integraram as diversas Academias no Rio Grande do Sul, hoje a Academia Rio-Grandense de Letras, mas dois deles destacaram-se como líderes cuja ação associativa permitiu a criação ou renovação...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo

Depoimento de Antonio Alberti sobre Rovílio Costa (11/11/2016)
05 de dezembro de 2016

DEPOIMENTO DE ANTONIO ALBERTI no painel Rovílio Costa, um homem à frente do seu tempo (Feira do Livro de Porto Alegre – 2016 – evento da Academia Rio-Grandense de Letras).   (Antonio Alberti é italiano,...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo

Academia Rio-grandense de Letras

PATRONOS

CADEIRA 28

João da Silva Belém

(por Antônio Augusto Ferreira)

Anos, que nos consideramos privilegiados pelo presente desenvolvimento dos meios de comunicação cultural, em que sobressai o recurso da Internet, sempre surpreende e intriga o fato de que, no passado, tantos espíritos, esses, sim, privilegiados, tenham sido capazes de criar obras de que nos valemos, hoje, para a compreensão de nossa subjetividade e de nossa história. Dentre essas pessoas de talento incomum destaca-se, no Rio Grande do Sul, mais especificamente em Santa Maria, João da Silva Belém, uma espécie de multimídia da época:...

continue lendoCONTINUE LENDOcontinue lendo